Foco Narrativo


Foco Narrativo, ou Ponto de Vista, é o elemento da narração que compreende a perspectiva através da qual se conta uma história. É, basicamente, a posição a qual o narrador, enquanto instância narrante ou voz que articula a narração, conta a história. Os pontos de vista mais conhecidos são dois: Narrador-Observador e Narrador-Personagem.

O Narrador-Observador é aquele que conta a história através de uma perspectiva de fora da história, isto é, ele não se confunde com nenhum dos personagens. Este foco narrativo se dá, predominantemente, em terceira pessoa e pode ser dividido em:

-Narrador-Observador Onisciente: É o narrador que tudo sabe sobre o enredo, os personagens e seus pensamentos. A onisciência do narrador pode ou não se limitar a apenas um dos personagens da história . Exemplos: Fielding, em Tom Jones; Tolstoi, em Guerra e Paz, Perto do coração selvagem, de Clarice Lispector.

“(…)Quando acordava não sabia mais quem era. Só depois é que pensava com satisfação: sou datilógrafa e virgem, e gosto de coca-cola.” – A hora da estrela, de Clarice Lispector.

-Narrador-Observador Câmera: Este narrador não tem a ciência do que se passa nas mentes dos personagens da história, mas conhece tudo sobre o enredo e sobre qualquer outra informação que não sejam intimas da psique dos personagens. Exemplo: Goodbye to Berlin, romance-reportagem de Isherwood.

“Ali pelas onze horas da manhã o velho Joaquim Prestes chegou no pesqueiro. Embora fizesse força em se mostrar amável por causa da visita convidada para a pescaria, vinha mal-humorado daquelas cinco léguas cabritando na estrada péssima. Alias o fazendeiro era de pouco riso mesmo, já endurecido pelos setenta e cinco anos que o mumificavam naquele esqueleto agudo e taciturno.” O poço, de Mário de Andrade.

O Narrador-Personagem é aquele que conta a história através de uma perspectiva de dentro da história, isto é, ele, de alguma forma participa do enredo, sendo um dos personagens da história, usando a Primeira Pessoa para se contar historia. Pode-se classificar o Narrador-Personagem em:

-Narrador-Personagem Protagonista: Este narrador é a personagem principal da história, narrando-a de um ponto de vista fixo: o seu. Não sabe o que pensam os outros personagens e apenas narra os acontecimentos como os percebe ou lembra. Exemplos: Grande Sertão: Vereda, Guimarães Rosa; Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis.

“Vai então, empacou o jumento em que eu vinha montado; fustiguei-o, ele deu dois corcovos, depois mais três, enfim mais um, que me sacudiu fora da sela,…” “mas um almocreve, que ali estava, acudiu a tempo de lhe pegar na rédea e detê-lo, não sem esforço nem perigo. Dominado o bruto, desvencilhei-me do estribo e pus-me de pé.” –Memórias Póstuma de Brás Cubas,de Machado de Assis.

-Narrador-Personagem Testemunha: É o narrador que vive os acontecimentos por ele descritos como personagem secundária. É um ponto de vista mais limitado, uma vez que ele narra a periferia dos acontecimentos, sendo incapaz de conhecer o que se passa na mente dos outros personagens. Exemplo: Memorial de Aires, de Machado de Assis; As Aventuras de Sherlock Holmes, de Sir Arthur Conan Doyle.

“Para Sherlock Holmes, ela é sempre a mulher. Raras vezes o ouvi mencioná-la de outra maneira. Para seus olhos, ela eclipsava e se sobrepunha às demais mulheres. Não que ele estivesse apaixonado por Irene Adler. Todas as emoções, e particularmente essa, aborreciam sua mente fria, precisa, mas admiravelmente equilibrada” – Um Escândalo na Boêmia, de A. Conan Doyle.

Uma das características de ambos o foco narrativo é a possibilidade de o narrador, enquanto relata a história, comentar sobre os mais diversos temas como o próprio enredo, a sua vida e a vida dos personagens ou sobre o cenário da narrativa. O narrador que faz este comentário é chamado de Intruso; o que não o faz, de Neutro.

Nada impede de que, numa mesma história, exista mais de um foco narrativo. O autor deve ter cautela ao executar a mudança do ponto de vista, evitando possíveis confusões no enredo e mau entendimento dos leitores.

Bibliografia:

FRIEDMAN, Norman. Point of View in Fiction: The Development of a Critical Concept.PMLA, Vol. 70, No. 5 (Dec., 1955), pp. 1160–1184 doi:10.2307/459894.

LEITE, Ligia Chiappini Moraes. O foco narrativo (ou A polêmica em torno da ilusão). São Paulo: ática, 1985. Série Princípios. p. 25-70.

—————————–

Exercício – Foco Narrativo

Desenvolva e escreva uma seguintes cenas pelo menos duas vezes, utilizando pelo menos dois tipos diferentes de foco narrativo.

– Duas amigas se encontram, depois de muito tempo, numa padaria.

– Um pai chega atrasado no treino de futebol do filho.

– Um rapaz encontra uma nota de cinqüenta reais no chão.

Anúncios

21 opiniões sobre “Foco Narrativo

  1. Poxa salvei o seu texto entre os meus favoritos…com certeza vou precisa lê-lo várias vezes!
    Sempre me enrrolo com narrativa… =B

  2. Parabéns pelo blog!Vou voltar com certeza, acabei de terminar o primeiro colegial e é agora que vou precisar dos conhecimentos literários pra estudar pro vestibular, hehe!!

  3. Cara, muito bom o seu blog! Vou linkar no meu (mas não precisa ser recíproco, tô linkando porque eu gostei mesmo, o assunto me interessa muito).

    Parabéns!

    Abraços!

  4. Meu… mto bom este post eu salvei rsrsrs….
    É mto bom ter onde ir qdo se quer ler coisas boas…. Parabéns

  5. Que legal, eu fiz uns textos baseado no que foi escrito. Nossa, eu ate gostei do que escrevi, o que nao e pouca coisa. Obrigada!!!

  6. Muito show adorei com essas informações até deu pra fazer meu trabalho trank’s ;D
    parabéns pelo Blog bjOs

  7. Oi. Gostei muito do seu blog. Essas dicas sao maravilhosas. Eu gosto muito de escrever e nossa e ta me ajudando muito, tb vou linkar seu blog no meu.
    Bj.
    Lu ; )

  8. Gostaria de saber que tipo de foco narrativo temos no livro pinóquio.Estou fazendo um trabalho sobre o livro e não tenho essa informação muito bem definida

  9. valeu,estou estudando para uma avaliação e o site me explicou o que eu não havia entendido.Já acrescentei aos meus favoritos!!!

  10. Texto construtivo, aprendizagem que com certeza é fundamental para que se obtenha uma ótima nota em questões de redações,narrações e etc.

  11. OLÁ, MEU CARO!

    PARABÉNS! Ó CONTEÚDO DO SEU BLOG ESTÁ ME AJUDANDO MUITO NA PREPARAÇÃO DE AULAS PROS MEUS ALUNOS AQUI DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE ARCOVERDE, ONDE TRABALHO COM TEORIA DA LITERATURA E LITERATURA BRASILEIRA. SAÚDE, PAZ, FELICIDADES!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s