Autopublicação – Parte 1


A autopublicação é uma alternativa para escritores, novos ou não, lançarem um livro sem a intervenção direta de uma editora. Há uma série de vantagens para o autor, que evita o pente-fino realizado pelo mercado editorial, detém plena liberdade criativa sobre o material publicado e recebe um retorno integral do preço do livro.

Porém, significa também que o autor suportará todos os custos envolvidos na produção, divulgação, distribuição e venda de sua obra, bem como sofrerá as incertezas do mercado.

O perfil do autor-editor

Qualquer pessoa pode editar e publicar seus próprios livros. A liberdade editorial vem com o peso dos custos associados à publicação de um livro.

A autopublicação é atraente principalmente para dois tipos de autores: o independente e o apaixonado. O primeiro é aquele que, apesar de sua bagagem literária, tem sua entrada barrada pelo mercado editorial. Para este tipo de autor, a autopublicação é o único meio de escapar da burocracia e controle das editoras.

Já o autor apaixonado escreve por que ama a escrita e adora a ideia de ver um livro com seu nome na capa. Para este autor, não importam os lucros, mas que sua obra seja imortalizada em papel.

O que se precisa para publicar um livro?

Para se publicar um livro, precisam-se realizar quatro etapas essenciais.

Escrever é apenas o primeiro passo...

A primeira delas é logicamente a escrita de todo o conteúdo de um livro. É talvez a etapa mais demorada, pois corresponde a criação artística ou científica em si. O autor deve ter em mente a que público sua obra se destina, adequando seu conteúdo (linguagem, tamanho do texto, etc.) ao perfil de seu público para poder cativá-lo, pois só assim conseguirá vender seus livros.

Revisar é preciso

A próxima etapa é a edição do material. Esta etapa corresponde à revisão ortográfica, verificação da qualidade da obra, escolha do título, definição da arte da capa e fonte do texto, ou seja, a execução de todos os elementos formais do livro. É uma etapa bastante técnica e muito importante, que pode ser difícil àqueles que não estão familiarizados com o processo de design.

Com o livro pronto, o autor-editor deve buscar resguardar seus direito autorais sobre a obra, bem como proceder com a aquisição de um registro internacional para sua obra (o ISBN). Esta etapa não é obrigatória, mas é altamente recomendada para evitar problemas futuros.

O registro autoral é realizado na Biblioteca Nacional (http://www.bn.br/), enquanto a aquisição de um número ISBN é realizada junto à Agência Brasileira do ISBN (http://www.isbn.bn.br/). Ambos são serviços pagos.

O ISBN significa International Standard Book Number (Númeração padrão internacional de livros), e é um sistema internacional padronizado que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país, a editora, individualizando-os inclusive por edição. Sua importância é devido ao fato de que livrarias, bibliotecas e feiras de livros exigirem que a obra possua uma numeração padronizada. O ISBN também facilita a divulgação e distribuição da obra.

Já o Registro Autoral na Biblioteca Nacional resguarda alguns de seus direitos como autor. A consequência mais importante do registro é que pode servir como prova de anterioridade em relação à obra idêntica publicada por terceiros sem autorização.

Procure entre as gráficas de sua cidade a melhor razão CUSTO/QUALIDADE

Realizada a edição e o registro, a próxima etapa é a impressão. Esta é a etapa mais cara, na qual o autor deverá pesquisar uma gráfica ou editora que realize a impressão com o melhor custo benefício. Nesta etapa o autor deverá definir quanto pretende gastar, o número de exemplares por tiragem, tipo de papel e capa, bem como calcular os custos envolvidos com a impressão.

Com todos os valores calculados, o autor-editor poderá definir o preço do exemplar, que corresponderá ao custo de impressão por exemplar somada à margem de lucro pretendida.

Se cada exemplar custou, digamos, R$ 6,00 (seis reais), o valor do exemplar do livro será de R$ 15,00 (quinze reais) se o autor pretender lucrar R$ 9,00 (nove reais) por exemplar. Isto corresponde a uma margem de lucro de 200% sobre os custos de impressão.

O autor, no momento de definição da margem de lucro, deve ter em mente também os custos adicionais à edição de um livro como a contratação de assistência profissional nas áreas técnicas como diagramação, revisão e design de capa, bem como custos com armazenagem e envio de exemplares.

Assistência no processo editorial

Nem todos os autores-editores estão aptos a editar e publicar uma obra literária inteiramente sozinhos. Em cada etapa para da criação da obra final, diversos profissionais podem intervir para auxiliar o autor a alcançar a melhor qualidade de suas obras. Tais intervenções são geralmente pagas, mas adicionam muito para o produto final.

Respeite os profissionais que te ajudarão a chegar lá!

Entre os serviços profissionais de interesse do autor-editor podemos citar:

  • Revisão de texto – talvez o serviço mais necessário, pois por maior que seja o domínio do autor da língua portuguesa, a revisão de textos próprios se mostra dificílima.
  • Diagramação de texto – o diagramador irá formatar o texto para torná-lo de fácil leitura. É um serviço que tornar o texto mais atraente ao leitor.
  • Design de capa – não se deve julgar um livro pela capa, mas esta é fundamental para atrair a atenção do leitor.
  • Pesquisa de mercado – em qual época devo lançar o livro? O assunto escrito é de interesse do meu público alvo? Em quais regiões da cidade, estado ou país tal matéria atrai mais a atenção dos leitores? Tais perguntas serão respondidas com uma pesquisa de mercado.
  • Marketing de vendas – assistência na hora de definir um plano de vendas, divulgar sua obra e contatar livrarias.

Formato: Físico X Digital

A ascensão dos livros digitais facilitou muito a publicação de obras independentes. Os custos de um livro digital são muito menores, visto que seu suporte não depende de impressão, etapa mais cara na publicação.

A facilidade de edição de um livro digital, no entanto, abre espaço para muitos autores o que torna seu mercado tão acirrado quanto dos livros físicos. Além disto, surgem novas questões a serem superadas como a edição em formatos digitais, venda pela Internet e pirataria.

Vantagens e desvantagens: ambos os formatos têm as suas

Na parte 2: Sobre a venda.

Anúncios

2 opiniões sobre “Autopublicação – Parte 1

  1. a última ‘autopublicação’ com que foi presenteado influiu na inspiração para o post? heheheh
    abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s